Bruno Henrique Dreher segurando um lagarto teiú. Logo do canal Dreherlogia sobreposto a imagem

O lagarto teiú e a autotomia caudal

Você já viu um lagarto com dois ou três rabos? Eu também não, mas lagartos assim existem graças a autotomia caudal, realizada por várias espécies desse bicho. Se você não sabe o que é isso, porque não assisti o vídeo abaixo e fica por dentro? Bruno Henrique Dreher, do Canal Dreherlogia, traz um lagarto teiú pra falar desse tema. Vídeo acessível em Libras. Abaixo, texto completo do vídeo.

Fala galera, beleza? Tudo certo? No vídeo de hoje a gente vai falar sobre a autotomia caudal.

Um grande exemplo de animal que faz autotomia caudal é o lagarto teiú.

Autotomia caudal é o mecanismo de defesa de muitas espécies de lagartos. Mas não são todas que realizam.

Esse lagarto aqui, o teiú, ele faz um corte aí no próprio rabo cara para despistar os seus predadores.

Esse rabo ele continua se mexendo aí a partir de estímulos musculares, né. Enquanto o corte, autotomia ocorre a partir de estímulos nervosos, já que quando ele está em situação de risco, de perigo, o cérebro dele mandou um sinal para uma parte pré-definida na calda, já que ele tem planos de corte que é chamado, que são locais específicos na casa delem em que o corpo dele já está preparado para eventualmente se romper ali.

Este lagarto, como você pode ver de uma parte para baixo da cauda dele é preta. Significa que daqui para baixo essa cauda foi regenerada, que ela caiu e que ele já passou por algum trauma, algum momento de susto, ou que ele realmente achou que ele ia morrer. Então, isso é autotomia caudal.

Você já pode ter visto isso com uma maior proximidade nas lagartixas de parede. Quando você foi lá retirar ela, mexer, encher o saco, ela soltou um pedacinho do rabo. Esse procedimento significa que ela estava com muito medo de você.

Então, por isso que é importante animais que fazem autotomia serem resgatados aí por pessoas especializadas e que saibam o que estão fazendo, porque você pode acabar gerando estresse no animal, fazendo com que ele perca um pedaço do próprio corpo e isso acaba trazendo diversos problemas para ele depois da vida pós autotomia, porque ele acaba perdendo um pouco aí da sua reserva energética, uma forma de locomoção que causa equilíbrio, até mesmo uma forma de defesa que é a rabada.

Então, autotomia não traz muitos benefícios para ele depois que ele se salva; e autotomia caudal lá se inicia uma série de contrações musculares na região onde a cauda vai ser rompida, naquele plano de quebra que eu tava falando para vocês.

Então o corpo dele começa ali estimular e tal. A pele dele se divide. A musculatura se desloca de onde seria o local correto e tem uma quebra da sua coluna.

E tudo isso acontece em instantes.

Aí você fica pensando: pow, mas é uma lesão ali, o cara perde um pedaço do membro, ele não sangra, não vai morrer por falta de sangue?

Não, porque esses animais são tão especializados, tão adaptados a isso, que os planos de quebra, onde o rabo dele tende a quebrar quando ele sofre a autotomia, ele tem válvulas ali que cessam a passagem de sangue, que seriam os esfincter.

Assim que se rompe, eles fecham e não deixam sangrar fazendo com que o animal não perca muito sangue aí nesse processo.

Muito massa, né?

Se você achou legal, demais o teiú fazer a autotomia caudal, deixa o like aí embaixo, já compartilha esse vídeo.

Demorou?

Cara, pós autotomia, o corpo dele já começa a se preparar aí pra crescer novamente essa cauda. Mas essa cauda cresce diferente, com uma cor diferente, e diferente da coluna original, que seria uma extensão da cauda, ele cresce um bastão cartilaginoso. Ou seja, a partir daqui ele já não tem mais a extensão da coluna. É somente um bastão cartilaginoso que vai se ossificando com o tempo.

Manda um beijo pro pessoal!

Isso, que beijo bonito!

Cara, é possível até que dê uma bugada aí na hora de ocorrer essa regeneração da cauda, porque já foi insscrito lagartos com duas caudas.

Saca só.

Também teve outros relatos de lagarto que teve essa regeneração da cauda; só que três, cara!

Muito louco, né?

Se você achou muito massa um lagarto com 3 rabos, deixa o like embaixo.

Cara, uma vez que essa cauda foi regenerada, outras autotomias podem acontecer, mas sempre aí no plano de quebra anterior em relação ao que já ocorreu, né.

Bom, isso é o que se dizia, é o que eu achava. Mas foi feito um novo estudo em relação ao autotomia caudal que se algum pregador, por exemplo, morde essa parte regenerada e arranca um pedaço, ocorre sim uma regeneração dessa parte cartilaginosa.

Saca só essas fotos aqui dos experimentos que eles fizeram com essas vértebras. Se você perceber, nessa primeira e a segunda, são vértebras originais da coluna mesmo desse animal. A terceira e a quarta já são vértebras cartilaginosas que foram feitos aí após a regeneração. E nessa última vértebra que você tá vendo nesse desenho já é a regeneração da regeneração da cauda desse lagarto.

Muito louco, né?

E se você achou esses animais interessantíssimos, deixa o like aí embaixo; compartilhe esse vídeo com seus amigos no seu Face, no Insta, em todas as redes sociais do universo. E como é a tradição já do canal Dreherlogia, desse tipo de vídeo, a gente vai realizar a soltura desse animal aqui na natureza.

Vamos lá comigo!

Como é de costume aqui no canal Dreherlogia, a gente vai fazer a soltura desse teiú.

Vamos lá?

Vai voltar pra natureza, bonitão!

Se você gostou do vídeo, se inscreva aqui em baixo, deixa o seu like. As redes sociais vão estar aqui do lado. E é isso aí.

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCIgVD_iO9oCRy-Br48UObrg

Instagram e Twiter: @dreherlogia

Facebook: Canal Dreherlogia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *