Cotoneteira – Essa planta não é nossa

Já ouviu falar da linda cotoneteira? Vendo as flores que produz é fácil perceber o motivo por trás do seu nome. Essa planta foi introduzida na Ilha Grande e que infelizmente possui a capacidade de impedir que plantas nativas se desenvolvam, o que faz dela uma espécie exótica invasora. Veja mais sobre essa planta no vídeo que, além do áudio, conta com a tradução para a língua de sinais. Abaixo, texto completo em português para pessoas com deficiência auditiva que não sabem Libras.

Essa planta não é nossa.

Cotoneteira, árvore-do-cotonete, clerodendro-cotonete, flor-cotonete, chuva-de-fogo, fogos-de-artifício, clerodendro, chuva-de-estrelas ou estrela-cadente, são alguns dos nomes populares desta planta

Seu nome científico é Clerodendrum quadriloculare e pertence à família Lamiaceae.

A espécie é originária das Filipinas e Nova Guiné. Tem sido empregada no paisagismo e cultivada em jardins e praças.

A planta pode chegar até 5 metros de altura e possui grande apelo ornamental com folhas em tonalidade escura de verde na superfície superior e arroxeado púrpura escura na superfície inferior. Possui numerosas flores que formam cachos vistosos e produzem grande quantidade de sementes.

A espécie é assinalada como invasora em vários locais do mundo, como por exemplo no Havaí, Micronésia e Polinésia Francesa, onde avança sobre as florestas naturais, impedindo o desenvolvimento das plantas nativas.

Na Ilha Grande o Clerodendrum quadriloculare vem sendo estudado como espécie exótica invasora tendo em vista o número considerável de novas plantas que têm sido observados sob a sombra das plantas adultas que são cultivadas nas vilas, com a Vila Dois Rios, por exemplo.

Por isso, não cultive mais essa espécie!

Na Ilha Grande existem espécies de plantas nativas que apresentam grande beleza e podem ser cultivadas sem medo de prejudicar o ambiente natural.

Assista ao nosso próximo vídeo! Vamos apresentar a baga-de-macaco também conhecida como fruta-de-macaco uma espécie nativa que serve de alimento para fauna e que possui interesse ornamental.

Eu sou Cátia Callado e esta é uma iniciativa do Parque Botânico, um núcleo do ecomuseu Ilha Grande da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, que visa o controle de espécies exóticas e a conservação da flora nativa da Ilha Grande.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *